Instintos, traição e açúcar

Quem é você no fim do dia depois de ter respondido a estímulos, situações e instintos?
Como animais que somos, temos instintos. Comemos, nos relacionamos, buscamos pertencimento e segurança por instinto.
Mas, até que ponto podemos justificar nossas ações por ele?
Como escolher com consciência quando o instinto bate?
O que acontece se você responde a ele sem pensar?

Na reflexão de hoje no Bocadinho falo de isso e mais um pouco.