O poder do incômodo

A gente bem que tenta evitar, mas volta e meia aparecem situações ou pessoas incômodas para mexer com a gente. Por mais que a gente queira achar que não, a gente só se incomodou porque temos algo dentro de nós, e não porque a pessoa/coisa provocou isso.
No episódio de hoje faço uma reflexão sobre isso e como podemos usar esses momentos para trazer mais conhecimento, conexão e cura para nós mesmos.

Tags: incomodo / podcast

Listen to “T01E03 – O poder do incômodo” on Spreaker.

Existem alguns aspectos da nossa vida que tem o poder de fazer a gente despertar para algo que não estamos prestando atenção.

Pra mim, saúde e relacionamentos são os mais poderosos.

A gente não tem certeza de muita coisa nessa vida, e assim vamos vivendo nossos dias como achamos que devemos. Tomamos nossas decisões, criamos nossas rotinas, escolhemos nossos amigos e companheiros.

Mas sempre tem algum acontecimento que nos tira do eixo. Pode ser um mal-estar físico, pode ser um sentimento diferente, pode ser uma situação ou uma pessoa incômoda.

Independente do que seja, o incômodo está dentro de você, ele não foi trazido por nada, nem ninguém e quando você começa a perceber que apesar do gatilho ter sido algo externo, você só reagiu porque isso existe dentro de você, você vê que tem mais autonomia e liberdade para lidar com isso.

Normalmente são sempre os mesmos motivos que nos tiram do eixo, às vezes trazidos por pessoas ou situações diferentes, mas no fundo é tudo a mesma coisa.

Aquela fita que passa sempre na sua cabeça, aquela situação chata que sempre acontece, representa uma parte sua que você não quer reconhecer e acolher e assim ela encontra maneiras de se expressar.

Ela pode se expressar em raiva, angústia, impaciência, ansiedade, tristeza. Pode também se expressar em má digestão, falta de apetite, impulsividade ao comer, alergias, dores.

O nosso prato é um espelho, ele reflete o que sentimos e acreditamos. Tudo está conectado. Por mais que a gente tente separar, não tem como. Tudo o que você fizer, vai ser afetado por tudo o que você fizer.

Eu bem sei.. olhei para o meu prato por anos tentando entender o que tinha de errado com ele, até que eu percebi que ele não tinha nada de errado. Eu que tinha!

E aí, começa a aventura. Porque para a gente se sentir bem, para ter saúde, a gente precisa entender essas conexões e descobrir quem somos.

Só que para sermos quem somos, temos que estar dispostos a deixar de ser quem a gente pensa que é.

E adivinha? São justamente esses desafios e dificuldades que vão trazer os questionamentos que precisamos para nos conectarmos a algo mais profundo.

Resistir e negar o que incomoda não abre espaço nem para a mudança nem para a ação. É somente quando a gente reconhece e aceita a situação que conseguimos usar a energia antes gasta para resistir, para mudar.

Pois é.. a sua impaciência com aquela pessoa, sua vontade maluca por doces, seu sentimento de não pertencer, suas intolerâncias alimentares, são sinais do seu corpo para você olhar para dentro e mexer no que você tem tentado ignorar.

Evitar as pessoas e situações que causam a perturbação não vai adiantar de nada a não ser te fazer sentir excluído e sozinho, pq a verdade é que vc se sentiu perturbado pq algo dentro de você existe e precisa de atenção. A pessoa, situação ou alimento não fizeram nada a não ser mexer com algo que você já tem aí dentro.

Está incomodando? Procure dentro de você o que precisa de atenção.

Comer de mais ou de menos esconde falta de alguma coisa.. pode ser amor, amor próprio, carinho, tempo, atenção. Irritabilidade em excesso, tristeza, angústia, animação, felicidade.. todo excesso esconde uma falta.

Não digerir o que você come e se sentir estufado, com dores, gases, não conseguir eliminar o que coloca pra dentro e ter constipação, não deixar o que você ingere ficar tempo suficiente e ter diarréia. O que você não está aceitando e que reflete na sua relação com a comida?

Talvez você esteja incomodado com a maneira que estou tratando as questões de saúde, e tudo bem. É incomodo mesmo pensar que a culpa não é do açúcar, do leite ou da pizza.

Mas, quanto mais você procurar fora a solução e explicação do que acontece dentro, mais desconexo e frustrado você vai ficar.

Procurar o alimento que vai te deixar bem, ou culpar o alimento que te deixou mal. Buscar o emprego que vai te fazer realizado, ou culpar o emprego que não te deixa viver o que você quis. Buscar o parceiro que vai te fazer sentir valorizado, ou culpar o parceiro que não te dá carinho suficiente. Isso só acaba quando você entende porque você acredita nisso.

Por que você acha que é algo fora de você que vai resolver suas insatisfações?

Por que você acha que seu desconforto é causado por um pão, bolo, grão?

Por que você acha que a maneira como te tratam está diretamente ligada a quanto você é especial?

Por que você acha que só vai ser feliz se tiver uma posição ou status específico?

Por que você espera alguém validar o que você sente para identificar que é real?

Acredite, a porta de entrada para a vida saudável, amorosa e gostosa que você busca, está dentro de você.

Você só vai se relacionar bem com a comida, as pessoas, as situações, se você estiver bem.

Só que antes de você ficar bem, você vai ter que mergulhar aí dentro e mexer no que está guardado, procurar as suas respostas.

Respire fundo. Solte o ar devagar.

Respire fundo novamente, sentindo sua barriga expandir. Solte o ar, sentindo sua barriga encolher. Repita mais duas vezes.

Aí, dentro de você está tudo o que você precisa para viver como você quer.

Seja carinhoso com você mesmo. Sinta o que surgir, não finja que não é seu. Não ignore.

É só a partir desses sentimentos que você vai conseguir se conectar e entender o que precisa.

Essa desconexão que vivemos, nos fez esquecer de como somos especiais e perfeitos e incríveis. Não precisamos de algo externo validando isso, porque é simplesmente verdade.

Nós temos uma fonte inesgotável de amor bem dentro da gente, que a gente pode acessar a qualquer momento e que está ali disponível para a gente fazer o que quiser.

Você só precisa se conectar com você mesmo, e com todos os aspectos que fazem parte de você. Os bons e os ruins.

Não desista de buscar seu bem-estar. Conecte-se com você mesmo. Procure suas respostas. Sorria… está tudo bem!

Até a próxima!